Investir no Facebook: vale a pena o esforço?

As marcas estão a sentir algumas dificuldades em promover-se no Facebook. Descubra se ainda deve investir nesta rede como parte da sua estratégia digital!

Toda a sua atividade no Facebook pode dividir-se em duas categorias: esforços pagos ou esforços orgânicos (não pagos). Ambos têm o mesmo objetivo: angariar mais “Gostos” na página, seguidores, interação e, a partir daí, aumentar as vendas.

A verdade é que, mesmo tendo resultados com o trabalho orgânico, este não o vai levar muito longe – e o Facebook certifica-se disso.

Porquê?

Longe vão os gloriosos dias em que todos os seguidores de uma Página viam todas as suas publicações – todas. Era assim que funcionava; de forma gratuita, justa e divertida.

Contudo, com o chegada dos anúncios pagos, o cenário mudou radicalmente. Os seus seguidores já não veem todas as suas publicações, e as que são vistas têm que ser pagas. Sem dúvida que é uma grande cartada comercial para o Facebook.

Além disso, o Facebook introduziu recentemente mudanças consideráveis no seu algoritmo – está a priorizar ainda mais as publicações de amigos, e menos de Páginas de empresas. A justificação apresentada por Mark Zuckerberg foi a seguinte: “Uma vez que há mais conteúdo público do que posts de amigos e da família, o feed afastou-se da coisa mais importante que o Facebook pode fazer: ajudar a nos conectarmos uns com os outros.” (Pode ler aqui o texto na íntegra.)

Assim: mais publicações de amigos, família e grupos e menos de empresas e marcas – e estas últimas serão cada vez menos favorecidas.

Sem o algoritmo a nosso favor, resta-nos a questão fundamental: vale a pena investir o seu dinheiro no Facebook? Sim, até porque esta novidade promete não afetar os anúncios, e mais ainda se o seu negócio preencher os seguintes requisitos:

a) Se estiver disposto a pagar por publicações patrocinadas.

Esta é uma das únicas formas para alcançar uma audiência mais alargada. Fazer publicidade no Facebook não é barato – apenas é mais barato do que fazer publicidade tradicional.

b) Se tiver uma grande audiência.

Mesmo com as restrições atuais, uma empresa com um milhão de seguidores pode ainda alcançar milhares de pessoas com as suas publicações, comparativamente a uma empresa com apenas mil seguidores, que não poderá almejar mais do 35 ou 40 pessoas de alcance.

c) Se a sua concorrência for bem sucedida no Facebook.

Este é um bom indicador – se a sua concorrência está a ter bons resultados nesta rede, a probabilidade de a sua empresa também ter é mais elevada.

Sem dúvida que este debate estará permanentemente aceso, mas uma coisa é certa: o retorno será proporcional ao seu investimento.

Dicas extra:
1. Não dependa apenas e só de uma rede social ou de nenhum website que não seja o da sua empresa. O Facebook pode desaparecer, ou alguma coisa pode acontecer com o Google – mas, no seu website, é você que dita as regras.
2. Não abdique ter um website para a sua empresa, e invista em inbound marketing (marketing de atração, no qual o cliente procura a empresa, e não o contrário), como um blog, consistência de conteúdo e recolha de contactos.

E as suas campanhas, são uma história de sucesso ou podem ainda melhorar? Conte-nos a sua experiência 🙂

Newsletter

SUBSCREVER
2018-05-23T08:27:50+00:00

Leave A Comment