4 mitos sobre email marketing - Minerva
email marketing

Os mitos sobre email marketing, tal como sobre a vida, são nossos inimigos e impedem-nos de fazer coisas que são, na verdade, benéficas. Tire todas as suas dúvidas!

 

Passou a sua adolescência a acreditar que, se engolisse uma pastilha elástica, demoraria 7 a horas a digeri-la? Compreendemos 🙂

Acontece que existem muitas outras coisas nas quais acreditamos, mas que não correspondem à verdade. Os mitos passam de geração em geração, e determinam muitas das nossas ações.

O email marketing não escapou a este fenómeno; tem sofrido, ao longo dos anos, com informações contraditórias.

Muitos anos de mau uso desta ferramenta, saturação e destaque de outras ações fez com que fosse deixada um pouco de lado.

É, por isso, importante destrinçar os mitos dos factos, para que não passe ao lado daquilo que pode ser uma grande vantagem para o seu negócio.

 

MITO 1

Email marketing está morto.

Sabia que cerca de 145 biliões de emails são enviados todos os dias, em todo o mundo? Durante o tempo em que leu a frase anterior, foram enviados 20 milhões de emails. Certamente que não é um número a desconsiderar!

De acordo com um relatório elaborado pela Adobe, o e-commerce atingiu, em 2016, números recordes na Black Friday, e adivinhe… o email marketing foi um dos principais impulsionadores de vendas: mais de 17% quando comparado com anúncios de display e redes sociais!

Email marketing é, portanto, um canal vivo e valioso que só não funciona quando não é utilizado de forma correta. Encontra-se em plena evolução e está a tornar-se cada vez mais envolvente.

Não é fácil ser bem sucedido em email marketing, por isso é que é tão recompensador para quem compreende bem este canal e o utiliza de forma correta. Contudo, não persiga cegamente as boas práticas recomendadas por especialistas. O que pode funcionar para um negócio, pode não funcionar para o seu caso específico. Por isso, teste por si próprio para perceber o que funciona melhor para si.

 

MITO 2

As remoções são motivo de preocupação.

Quando alguém remove a sua subscrição da nossa mailing list, podemos ficar desanimados porque achamos que isso significa que a estratégia está a falhar. Mas isso não é verdade.

Apenas significa que aquela pessoa não era um (eventual) cliente e que, por isso, seria muito improvável que fizesse uma compra consigo. Não é, portanto, um contacto que interesse manter. As necessidades que essa pessoa tem não são supridas pela sua empresa.

É precisamente isto que é feito no processo de higienização de mailing – preservar apenas os contactos que estão efetivamente interessados na sua empresa, independentemente da quantidade, para assim obter uma lista extremamente eficaz, e com maior valor.

Na verdade, uma remoção é uma boa notícia! A pessoa que se remove está a ajudá-lo a limpar a sua base de dados, e evita que você próprio o tenha de fazer.

É por isso que o link ou botão de remoção deve estar bem visível. Não queremos que a pessoa tenha dificuldade em remover-se; devemos facilitar esse processo.

 

MITO 3

A taxa de abertura é a métrica mais importante.

taxa de abertura email marketing

Se ninguém abrir o seu email, a ação de email marketing deixa de fazer sentido. É por isso que somos ensinados a usar a taxa de abertura como a métrica principal para avaliar o sucesso de uma campanha.

A questão é que a taxa de abertura não é tudo o que existe. Basta pensarmos que os serviços de email consideram uma mensagem aberta quando as imagens são descarregadas, ou quando o utilizador clica num link. Contudo, o Outlook, por exemplo, bloqueia por default as imagens – isto significa que a taxa de abertura não vai ser determinada com exatidão.

Por outro lado, uma alta taxa de abertura com uma baixa taxa de cliques significa que o email tem pouca relevância.

Assim, não olhe apenas para a taxa de abertura para determinar o sucesso de uma campanha. Observe também o número de leads e taxa de conversão – por exemplo, número de cliques no email, o número de visitas ao site, ou outras leads.

 

MITO 4

Não é preciso enviar emails a pessoas que já são clientes.

Se não lembrar aos seus clientes que a sua empresa existe, se não se esforçar para os reter e fidelizar – se não permanecer top of mind – provavelmente irá perder o cliente.

De acordo com um estudo feito pela RJMetrics, 32% dos seus primeiros clientes irão efetuar uma compra seguinte à mesma empresa.

E isto não é tudo. 53% dos clientes que fazem uma segunda compra, fazem uma terceira. E no momento de fazerem a décima compra, a percentagem sobe para 83%.

É claro que isto não acontece por magia. É preciso continuar a nutrir os seus clientes com email marketing. Se não o fizer, vai estar sob constante ameaça de que a concorrência o faça.

E não há nada como recompensar os clientes pela lealdade. Isto não significa inundá-los com ofertas e descontos – sabemos que tem um negócio para gerir e não pode estar sempre em modo gratuito. Mas poderá fazer isso em ocasiões especiais: no Dia dos Namorados, no Dia do Pai, no Natal e… no aniversário do cliente! É verdade que muitas empresas já fazem isso, mas resulta. Quem não gosta de se sentir especial? 🙂

Se ainda não usa email marketing, comece hoje mesmo. Estamos disponíveis para qualquer dúvida que possa ter!

Se gostou deste artigo e quiser receber comodamente e em primeira mão os nossos conteúdos, subscreva a nossa newsletter. A inscrição é gratuita!

AUTHOR: Minerva

Somos mais que uma empresa de artes gráficas. Damos resposta a todas as necessidades de comunicação da sua empresa. E adoramos o nosso trabalho!

Sem comentários

Deixe um comentário ;)

O seu endereço de email não será publicado

Subscribe!