Como criar uma imagem profissional - Minerva
Imagem profissional

As pessoas observam-nos constantemente e formam muitas teorias sobre a nossa competência e carácter. Como gerir a sua imagem profissional de forma estratégica e proativa?

 

É bem verdade que aquilo que as pessoas pensam dos outros diz mais sobre si próprias do que dos outros. Encontramos também em todo o lado conselhos no sentido de não se importar com o que as outras pessoas pensam, e não viver em função disso. Acima de tudo, é valorizada a liberdade de expressão individual.

Porém, no mundo de trabalho, estas questões assumem uma outra perspetiva, porque é pela imagem profissional que podemos transmitir segurança e confiança aos clientes, aos colegas de trabalho e aos superiores hierárquicos, com consequências para o futuro da empresa.

Assim, uma boa imagem profissional exige cuidados que, antes de serem julgados como supérfluos, merecem ser analisados como “ferramentas de trabalho” importantes para o desempenho das nossas funções.

Muitas pessoas desejam ser vistas como competentes, sociáveis, íntegras e com sentido de compromisso com o trabalho, com a equipa e com a empresa. As pesquisas indicam que os fatores mais valorizados são a confiabilidade, a sensibilidade, a humildade e a competência.

No entanto, para dificultar a tarefa, existem alguns estereótipos sociais com os quais temos que lidar. Por exemplo, é frequente considerar que os africanos são menos inteligentes e com maior propensão para a criminalidade do que os caucasianos, os asiáticos são tecnicamente muito competentes mas com lacunas sociais graves, mães trabalhadoras são menos comprometidas com a profissão e menos leais à empresa, gestores de empresa com um “canudo fresco” são pouco qualificados, mulheres médicas são confundidas com enfermeiras. Todos estes estereótipos são obstáculos no nosso caminho para a criação de uma imagem profissional positiva.

Como construir, então, uma boa imagem?

 

APARÊNCIA E POSTURA

  • Além dos tradicionais traços de higiene pessoal, espera-se que a expressão facial seja um sorriso sincero que demonstre abertura e disponibilidade.
  • Mantenha a cabeça e o tronco eretos; quando curvados, demonstram cansaço ou desânimo.
  • Mantenha-se sintonizado com o tom e a velocidade do discurso do seu interlocutor.
  • Tenha um discurso pertinente ao momento, sem “bengalas de linguagem”, gíria ou calão, expressões demasiado íntimas, e sem desenvolver informação desnecessária.
  • Se vai ser sóbrio ou descontraído, isso será decidido pelo interlocutor. Adapte-se a ele. A peça da relação é a pessoa do cliente, e não a sua.
  • Olhe o cliente diretamente nos olhos, sem ser invasivo, e cumprimente com firmeza e segurança.
  • O vestuário não deve ser motivo de distração, nem perturbar a comunicação. Adapte a indumentária ao contexto, de acordo com as expectativas do cliente.
  • Entenda quem será o seu interlocutor, o ambiente e os costumes locais. Em caso de dúvida, a discrição e o bom senso é sempre a opção mais segura.
  • Se usar farda, certifique-se de que esta esteja sempre limpa.

 

CONVERSAÇÃO

  • Fale de forma positiva e responda de forma construtiva. Centre-se naquilo que é necessário fazer para cumprir um objetivo, em vez de discorrer sobre dificuldades.
  • Esforce-se por ter boa dicção e segurança nas palavras.
  • Quando alguém obtém bons resultados, dê os parabéns. Não deixe de reconhecer. Se os resultados não forem assim tão bons, expresse empatia e relembre sucessos anteriores para motivar. Positividade acima de tudo!
  • Ninguém gosta de trabalhar com quem está constantemente a queixar-se. Tome iniciativa para resolver os problemas, em vez de tomar a iniciativa para os apontar.
  • Mostre-se calmo e seguro em qualquer situação. É o segredo para colegas e clientes se sentirem seguros consigo, e quererem trabalhar consigo. Não se deixe levar pelo stress.
  • Prontifique-se a ajudar e mostre-se disponível. Quando lhe pedirem ajuda, não fique hesitante, a elencar as dificuldades que vai encontrar, nem faça sentir o interlocutor que o está a maçar. Se não puder de todo ajudar, diga-o honestamente e explique porquê. Mas se puder ajudar, não anteceda a sua ajuda com um discurso desanimador.
  • Irradie otimismo. Mostre-se pronto e preparado para contribuir. Será um prazer trabalhar consigo!

 

É certo que positividade atrai positividade, e negatividade atrai negatividade. O que queremos atrair? 🙂

Projete-se como alguém confiante e acolhedor – isso vai criar o laço que precisa com clientes, e vai proporcionar o nível de conforto necessário para que seja o escolhido na hora de fechar o negócio. Um serviço não é escolhido apenas pelo serviço em si; o atendimento, o acompanhamento, o suporte e a continuidade da relação vão ser decisivos!

 

Se gostou deste artigo e quiser receber comodamente e em primeira mão os nossos conteúdos, subscreva a nossa newsletter. A inscrição é gratuita!

AUTHOR: Minerva

Somos mais que uma empresa de artes gráficas. Damos resposta a todas as necessidades de comunicação da sua empresa. E adoramos o nosso trabalho!

Sem comentários

Deixe um comentário ;)

O seu endereço de email não será publicado

Subscribe!