Os perigos do multitasking - Minerva
Os perigos do multitasking

São surpreendentes os dados científicos sobre algo que é tão valorizado no mundo profissional. Veja como o multitasking está a diminuir a sua produtividade!

 

Neste momento, provavelmente estará a trabalhar, a aceder ao Facebook, a enviar SMS, a consultar o seu e-mail, a escolher a sua playlist, a responder a uma dúvida de um colega, a atender uma chamada do seu fornecedor, a bebericar um café e a respirar.

Sabia que não está a dar o máximo em cada tarefa? Ok, a respirar, sim ☺

Mas este cenário remete-nos para A Grande Tentação do Século: o multitasking. No fundo, trata-se de fazer muitas coisas diferentes ao mesmo tempo, e isso é muito valorizado no mundo profissional e pessoal.

Aliás, é sempre com orgulho que alguém diz que consegue fazer muitas coisas ao mesmo tempo, e com desapreço ouvimos alguém dizer que só (repare, “só”!) consegue fazer uma coisa de cada vez. E quantas vezes interrompemos um pensamento para responder a um SMS de um amigo ou atender uma tia no telefone?

Vamos colocar este conceito debaixo de uma análise crítica. Pronto para abanar um pouco as ideias preestabelecidas?

Preparámos este infográfico sobre os efeitos negativos que o multitasking exerce não apenas na sua produtividade, mas em vários aspetos da vida.

 

Faça download do infográfico em PDF

 

Mas o que fazer num mundo em que predomina a cultura do polvo, na qual ter 7 ou mais braços é a exigência básica para entrar e permanecer no mercado de trabalho?

A resposta é simples: organize o seu dia de forma a que a sua mente esteja focada numa tarefa apenas de cada vez. Escolha uma ordem de prioridade, comece pela tarefa mais importante e não pare até a concluir. Enquanto estiver a executar essa tarefa, não pense nas outras seguintes – dedique-se exclusivamente à tarefa presente.

Além disso, faça uma pausa de 15 minutos a cada 2 horas. Mas atenção: fazer uma pausa para navegar no Facebook não conta. Isso só irá produzir mais atenção fraturada, porque vai continuar a saltar de assunto para assunto. Em vez disso, faça uma pausa que lhe permita divagar mentalmente, como caminhar, olhar pela janela, ou ouvir música.

O seu cérebro agradece!

 

 

Se gostou deste artigo e quiser receber comodamente e em primeira mão os nossos conteúdos, subscreva a nossa newsletter. A inscrição é gratuita!

AUTHOR: Minerva

Somos mais que uma empresa de artes gráficas. Damos resposta a todas as necessidades de comunicação da sua empresa. E adoramos o nosso trabalho!

2 Comments
  • Francisca

    Boa tarde!
    Adorei o artigo. Vou passar a todos os meus amigos. Obrigada.

    Março 20, 2017

Deixe um comentário ;)

O seu endereço de email não será publicado

Subscribe!