Tempo médio de leitura: 3 minutos

Se é designer e procura melhorar o seu nível de produtividade e competência, conheça cinco hábitos que deve começar já a cultivar na sua vida diária!

“Get comfortable being uncomfortable. Get confident being uncertain.
Pushing yourself is what makes you grow.”
– Jules Marcoux

Se olhar com atenção à sua volta, vai perceber que tudo começou com um design.

A sua secretária, os seus sapatos, o seu computador, a sua cama. Esta é a importância que o design tem – nas nossas vidas, no nosso trabalho, na nossa humanidade.

Todos nós (designers e não designers) concordamos que o design torna o mundo um lugar melhor. E como podem os próprios designers tornar-se melhores? Estes 5 hábitos vão, seguramente, contribuir para elevar a sua performance!

1. Designers: sejam organizados.

 

“Don’t agonize. Organize.”
– Florynce Kennedy

 
Quer seja freelancer, quer trabalhe por conta de outrem, as competências de organização vão colocá-lo em vantagem.

Porquê? Porque vão ajudá-lo a acompanhar e sistematizar todos os trabalhos, evitando o perigoso risco de esquecer importantes clientes, ou detalhes decisivos de um projeto. Além disso, ajuda também a trabalhar com mais prazer – sabemos como pode ser frustrante tentar localizar um determinado ficheiro, e mais ainda perceber a que projeto pertence.

Tome tempo para analisar alguns softwares ou plataformas de gestão de projetos, de acordo com as suas necessidades. A Station, por exemplo, tem a vantagem de reunir, numa só aplicação, (quase!) todas as aplicações que usa. Por outro lado, a Invision é um bom apoio para trabalhos de prototipagem, e a Todoist ajuda a manter os projetos organizados.

designers organização

2. Designers: sejam disciplinados.

 

“Motivation gets you going, but discipline keeps you growing.”
– John Maxwell

 
Este ponto é importante sobretudo para os designers que trabalham em casa, ou de forma remota, quando os horários são geridos apenas pelos próprios. Inclusivamente, existe o mito de que os freelancers podem “trabalhar quando quiserem”.

A liberdade que daí advém pode, de facto, ser altamente distrativa, pelo que é necessária uma grande dose de autodisciplina para cumprir os objetivos.

Assim, defina para si o melhor período do dia (ou da noite!) para trabalhar. Seja de manhã, à tarde, ou de madrugada, o importante é que crie e mantenha uma rotina horária que permita a finalização dos trabalhos dentro dos respetivos prazos.

Muitas pessoas optam por cumprir, mesmo em casa, o horário de expediente. Quais as vantagens? (1) É mais fácil separar o trabalho do lazer, (2) pode sincronizar-se melhor com os clientes que são empresas, e (3) ficam naturalmente definidos os horários adequados para contacto com os clientes.

designers disciplina

3. Designers – não sacrifiquem a qualidade

 

“Quality is remembered long after the price is forgotten.”
– Gucci

 
Já deu por si a dizer: “Assim já está bom!”?

Não é propriamente um mantra que deva usar. Uma boa alternativa seria: “Agora sim, está excelente!”.

O seu valor como designer é diretamente proporcional à qualidade dos trabalhos que desenvolve. Por isso, não prejudique a qualidade a favor da rapidez. É preferível informar o cliente que será necessário mais algum tempo do que apressar o trabalho e entregar algo inferior.

Como se consegue isso? Focando-se nos detalhes. Passe a pente fino todos os milímetros do trabalho e certifique-se que todos os elementos estão onde devem estar, e como devem estar.

Quando entregar o trabalho, sentirá uma satisfação muito especial ao saber que aplicou toda a sua energia, além dos seus limites – e a sua reputação no mercado de trabalho agradece.

designers qualidade

4. Designers: comuniquem.

 

“No matter what job you have in life, your success will be determined 80% by your communications skills.”
– Anónimo

 
As competências de comunicação são fundamentais – quer seja num briefing com 4 pessoas ou numa conferência com 600 pessoas.

São vários os cenários que podem pôr à prova esta competência: responder a um cliente insatisfeito, impaciente ou que desvaloriza o nosso trabalho, lidar com um fornecedor que cometeu um erro grave, defender um parecer profissional, entre outros.

Sobretudo em casos onde as emoções podem estar à flor da pele, e onde muito pode estar em jogo, é importante saber o que dizer e, mais importante, como dizer, dada a facilidade com que o nosso discurso pode ser mal interpretado, por mais claro que nos possa parecer.

Este aspeto é particularmente importante em comunicações via e-mail, onde não existe aquela preciosa ajuda para apreendermos corretamente a mensagem: o não-verbal.

5. Designers: desliguem-se.

 

“Disconnect from technology to reconnect with yourself.”
– Arianna Huffington

 
Vivemos imersos em tecnologia, entre telemóveis, redes sociais, televisão e computadores. É certo que são ferramentas de trabalho, e podem até proporcionar algum lazer e diversão.

Contudo, quando se desliga de forma consciente e passa a dar atenção ao que se passa à sua volta, vai sentir-se ligado a coisas novas e importantes e, sobretudo, a outros aspetos de si próprio que, de outra forma, não estariam acessíveis. E isto é fundamental para alimentar a sua humanidade, as suas relações e, como consequência, a sua criatividade.

É natural também que sinta uma maior capacidade de concentração, e que tenha um descanso com maior qualidade. E volte a abraçar o trabalho com espírito renovado.

Newsletter

SUBSCREVER
4.9 (97.42%) 62 votes